DINHEIRO: AJUDANDO FINANCEIRAMENTE NO REINO DE DEUS

4/8/2003

6 de outubro de 1999, Lilongwe, África

Na igreja onde vivo não há ninguém que receba salário, ninguém que colete dinheiro para si próprio, ninguém que dê sermões para conseguir dinheiro. Mas todos estão bastante envolvidos financeiramente. Num ambiente como este, nunca iríamos entregar envelopes para cada um colocar o seu dízimo, mas ainda assim cada uma das pessoas na Igreja contribui financeiramente para a obra de Deus. Existem várias pessoas na Igreja a quem foi confiada à responsabilidade de providenciar em seus lares uma maneira discreta pela qual irmãos e irmãs possam contribuir. Ser capaz de dar em segredo dessa forma faz com que a mão direita fique sem saber o que a mão esquerda está fazendo. As pessoas não vão lá à frente contribuir, para que outras pessoas vejam, mas são capazes de dar de coração.

Existem muitas coisas para as quais as pessoas podem contribuir. Muitos irmãos colocam seu dinheiro num envelope, escrevendo do lado de fora o destino que desejam para aquele dinheiro. Eles podem dizer, “Aos Pobres”, que primeiramente podem ser os pobres entre nós, ou em nossa comunidade. Eles podem escrever, “Para Material Impresso”, como alguns dos livros que vocês já receberam. Vários santos deram uma parte de seus salários porque a sua oração e disposição de coração é de compartilhar aquelas verdades tão preciosas para eles. Alguém pode dar dinheiro para um irmão que recentemente tenha trabalhado bastante no Senhor. Talvez ele esteja viajando, longe de casa. Ele não está em seu trabalho como de costume estaria, mas porque desejam que ele tenha condições de estar com aqueles crentes em outro local, eles dão parte de suas rendas para aquele propósito.

Escrever no lado de fora do envelope permite às pessoas conectarem seus corações com o que está acontecendo. Não é só jogar dinheiro à toa numa cesta, mas o dinheiro representa a obra de Deus. Desse jeito elas podem então se conectar com o trabalho específico que tem sido tão importante para seus corações. Há momentos em que nada específico vem à mente. Talvez eles não saibam para o que contribuir nesta semana. Então eles podem colocar: “Para os Líderes Decidirem”. Há muitas possibilidades.

No primeiro século as pessoas algumas vezes vendiam terras e casas e colocavam o dinheiro aos pés dos apóstolos, que era distribuído de acordo com as necessidades de cada um. Algumas vezes, então, a coisa acontece assim. Na maioria das vezes, porém, as pessoas contribuem para alguma coisa específica. Como ninguém está olhando, é fácil ser preguiçoso. Porque a mão esquerda não está vigiando a mão direita, você pode acabar ficando preguiçoso no seu contribuir. Cada um de nós precisa ser bastante cuidadoso e não deixar isso acontecer. A maioria das pessoas nos Estados Unidos recebe pagamento uma vez por semana, o que é um bom lembrete de que se deve separar parte daquele dinheiro e oferecê-lo para a obra de Deus. Isso responde em parte a sua pergunta? Tem mais? Será que eu esqueci alguma coisa que poderia ajudar?

E sobre o dízimo?

O ensino do dízimo não existe no Novo Testamento. Se quiser dar o dízimo, você deve também oferecer sacrifícios de animais. É um ensinamento do Velho Testamento, da Velha Aliança. Era uma disciplina de dez por cento que Deus ordenou a Seu povo no Velho Testamento. “Dar o dízimo” não é parte do Novo Acordo, a Nova Aliança, assim como o sacrifício de animais, ou um “homem sagrado”—clérigo ou sacerdote—ou a adoração num templo não são parte da Aliança no Sangue de Jesus. Estes não são, e “dar o dízimo” não é. NÃO EXISTE DAR O DÍZIMO no Novo Contrato. Homens que tentam extorquir dinheiro das Ovelhas de Deus para financiar prédios destinados a cerimônias religiosas e salários de mercenários tentarão destacar Versículos da Velha Aliança para persuadir o povo de Deus a pagar essa conta. Esses mesmos homens, porém, geralmente não insistem na adoração sabática (“sábado”) num Templo em Jerusalém, ou em Sacrifícios de Animais, que também são parte daquele Acordo. É totalmente desonesto e fraudulento pegar uma linha de um Contrato e outra linha de um Contrato diferente para construir o paradigma de alguém. Paulo ensinou claramente que estamos mortos em nossos pecados, e o Sangue de Jesus é inútil para nós se vivemos na Aliança da circuncisão, sábados e dízimos. Não existe o “dízimo de 10% ao pastor” na BÍBLIA. Essa não é a Maneira de Deus.

Neste Acordo, Deus quer TUDO, e quer DO CORAÇÃO, e quer isso PELO ESPÍRITO. Jesus disse: “A menos que vocês ultrapassem a justiça dos Fariseus, vocês não podem entrar no reino”. NESTE Acordo, tudo há de ser RELACIONAL, de um vivo e corrente caso de amor com o Messias. Nosso “dar” nessa Aliança há de ser sacrificial, como dirigido por e em obediência ao Espírito de Deus, dia após dia.

Quando Jesus estava de pé no templo, Ele viu uma mulher pôr duas moedas no cofre do tesouro. Aquelas moedas não eram muita coisa em termos de quantidade. Jesus disse que ela não dera dez por cento, ela não dizimou, mas ela deu todo seu dinheiro. Ela deu o dinheiro da comida. Deus era mais importante para ela do que comida. Ela amava o Senhor seu Deus com todo seu coração, alma, mente e força. Ela não estava tentando encontrar uma maneira de dar apenas os dez por cento. Ela quis dar o melhor presente que podia. E Jesus disse: “Vejam essa mulher. Os anjos estão aplaudindo e batendo palmas por sua causa, pois ela não pensou em dizimar, ela deu todo seu coração, alma, mente e força.” Essa é a mensagem do Novo Testamento. A Velha Aliança é fraca em comparação.

Não mercadejar

Quando Paulo escreveu a algumas igrejas, ele disse: “Nós não pregamos a Palavra de Deus por lucro”. Paulo não via seus dons como algo que pudesse vender. Jesus lhe havia dado esses dons para que edificasse os outros, não para obter dinheiro deles. Ao invés de tentar receber dinheiro das pessoas, ele procurava dar. Como já foi dito, outros têm se sacrificado para imprimir os livros que trouxemos. Não estamos vendendo esses livros. Nós estamos dando esses livros para vocês e outros mais. Os ensinamentos nesses livros pertencem a Jesus, não a nós. Jesus compartilhou essas coisas conosco com liberalidade. Assim, é claro, nós queremos compartilhá-las com vocês com liberalidade.

Eu espero que ninguém jamais pense em vender um desses livros para alguém. Com qualquer dom que Jesus dá a você, se é ensino, sabedoria, conhecimento, se é a habilidade de cantar ou tocar, a habilidade de bem comunicar-se em público, isto é algo que não pertence a você. É algo que o Mestre confiou aos seus cuidados. Aquele dom ainda pertence a Ele. Mas Ele o confiou a você para que possa enriquecer outras pessoas. Numa ocasião Jesus falou aos Fariseus: “Se vocês oram para que outros admirem vocês, essa é a sua única recompensa”. O mesmo é verdade quando o assunto é dinheiro. Se você ensina, escreve ou canta para que outros te paguem, aquele dinheiro será a única recompensa que você vai ter. Mas se você pretende dar livremente daquilo que Deus te deu, a recompensa é grande. As bênçãos multiplicam-se nas vidas ao teu redor, e isso é para honra de Deus.

Em termos práticos novamente, cada pessoa toma uma decisão perante Deus toda semana sobre como há de ser um contribuinte, como deve dar de seus bens materiais. As decisões que essas pessoas tomam são entre elas e Deus, porque O amam de todo o coração. E assim elas fazem escolhas e então decidem onde empregarão aquele dinheiro. Há bairros onde muitos santos vivem próximos uns dos outros. Colocamos uma caixa num desses lares em cada bairro. E os santos que vivem naquele bairro discretamente vão àquela casa toda semana e pedem a Deus que receba seu dinheiro. Eles escrevem um bilhete junto com o dinheiro indicando para que área da obra desejam dar, e colocam dentro da caixa. É uma coisa simples.

Temos também dois ou três irmãos que vão a cada um daqueles bairros (pequenas vilas), coletando todo aquele dinheiro num lugar. E esses honestos e confiáveis irmãos, trabalhando juntos, tomarão o dinheiro que está designado para os pobres e o distribuirão entre os pobres da comunidade. O dinheiro designado para a impressão de livros, eles o recolherão num lugar e o darão aos que cuidam da impressão. E quando certos irmãos ou irmãs que são fiéis servos de Deus têm suas vidas mudadas, suas famílias mudadas por causa dos dons de certas pessoas, eles podem colocar um nome no envelope e aqueles confiáveis irmãos, trabalhando juntos, farão com que os irmãos ou irmãs cujos nomes estão nos envelopes os recebam conforme determinado.

Assim como Paulo, talvez seja que estes outros irmãos ou irmãs também fazem tendas ou outros tipos de trabalho. Porque Paulo afetou a vida de pessoas para Jesus em Filipos e Tessalônica, talvez eles enviassem a ele uma oferta para o trabalho ali. Ele também distribuía para os pobres ao seu redor usando aquele dom. Ele também ajudava outros irmãos e irmãs como Timóteo e Tito para que estes não tivessem que fazer tendas o tempo todo. Na carta aos Filipenses, Paulo disse que algumas vezes recebeu coisas de outros, outras vezes não. Algumas vezes ele fez tendas, outras vezes não. Se Deus provia suas necessidades de outro jeito, então aquilo era maravilhoso. Se não, ele fazia tendas e provia as necessidades de outras pessoas. Sem problemas. Assim, esses irmãos que recolhem todo o dinheiro, distribuirão para qualquer um que tenha seu nome escrito nos envelopes ou para qualquer tipo de obra que estiver designada no envelope, sem pegar nada para si próprios. Isso faz sentido?

Ao passo que alguém pode dar dinheiro para uma pessoa que está mudando vidas, ninguém decide que deve receber dinheiro porque acredita, por si mesmo, que está mudando outras vidas. As pessoas cujas vidas estão sendo mudadas é que tomam essas decisões. Ninguém decide que vai receber dinheiro. Todos decidem servir Jesus com quaisquer dons que tiverem. Todos, não um clero e uma audiência. Todos. Alguns dons são bastante úteis. À medida que esses dons vão ajudando você, queremos liberá-los para ajudar outros. Isso acontece assim às vezes. Mas nunca porque alguém está mercadejando a palavra de Deus, por lucro. Seu único objetivo é ajudar e ser útil. Eles não estão tentando ganhar dinheiro. Não importa para eles se tiverem que fazer tendas pelos próximos cinco anos ou se forem liberados por um tempo. Eles servem Deus de todo o coração em ambos os casos. Isso é muito diferente de como a maioria do mundo religioso funciona. As pessoas vêem a Palavra de Deus como uma carreira. Não é uma profissão como carpinteiro. Isso não está na Bíblia.

É melhor dar

Mais um ponto: Jesus disse, “É mais feliz dar do que receber”. Receber é bom, mas dar é melhor. Porém sempre há problema em exigir receber. Se meus filhos viessem me dizer: “Pai, Pai, dê alguma coisa para mim!” e eles exigissem e chorassem, a única coisa que receberiam seria disciplina. Mas se vejo meus filhos dividindo com outros e amando outras pessoas, eu me sinto bem livre para surpreendê-los com um presente. O mesmo é verdade na família de Jesus. Nunca deve haver alguém que esteja exigindo dinheiro. Ninguém deve dizer: “Está escrito, ‘Temos tudo em comum.’ Você tem que me dar dinheiro.” Ninguém deve dizer: “Está escrito, ‘Se você tem duas capas, dê uma a seu irmão.’ Você tem duas capas; dê uma para mim.” Isso é pecado. É egoísmo. Então, se alguém está exigindo dinheiro ou qualquer outra coisa, a igreja não deve dá-lo àquela pessoa ou na verdade eles o estarão prejudicando. Mas se alguém está verdadeiramente passando necessidades, e os irmãos descobrem isso e por amor e desejo de servir Jesus eles dão, isso é uma coisa maravilhosa; isso é aceitável a Deus.

Todos servem a Deus em tempo integral

Quando Paulo viajou de cidade em cidade e de país a país para ensinar outros, ele não dizia: “Eu sou um apóstolo do Deus Altíssimo! Eu não devo me rebaixar a fazer tendas. Eu sou um servo de Deus!” Paulo fazia tendas quando precisava de dinheiro. Se Deus lhe supriu suas necessidades de outras maneiras, era tudo bem com ele também. Ele não se importava. Se ele fazia tendas, então encontrava pessoas de negócios, pessoas a quem comprava pano para fazer as tendas, pessoas que vinham comprar as tendas que ele fazia, e esse era o campo em que ele trabalhava também. Ele não se importava se encontrasse as pessoas no mercado ou na sinagoga. Toda sua vida era amar a Deus e amar as pessoas, ser todas as coisas para todos os homens, se colocar em todas as circunstâncias em que podia estar. Se ele estava na cadeia, ele convertia o carcereiro. Quando estava perante reis em julgamento, ele tentava converter o rei. Se ele estava fazendo tendas, ele tentava converter os compradores de tendas. Como ele ganhava a vida não fazia qualquer diferença.

Se Deus proveu para as necessidades dele a partir de outros irmãos e irmãs que o amavam e eram gratos a ele, e ele assim ficava livre para não fazer tendas por algum tempo, então talvez ele viajasse com Silas e os outros irmãos e podia ir para outras cidades. Se seu dinheiro acabava, o que a carta aos Filipenses diz que aconteceu com ele em algumas ocasiões, então ele fazia tendas novamente por algum tempo. Sem problemas.

As tradições dos homens nos ensinaram um péssimo conceito do que significa ser um servo de Deus. Paulo foi um servo muito mais poderoso do que a maioria dos homenzinhos que hoje se dizem servos de Deus. Paulo recebia ou não recebia dinheiro. Paulo trabalhava duro com suas próprias mãos noite e dia e ainda pagava por suas refeições. Aos Tessalonicenses ele disse: “Eu até paguei por minhas próprias refeições quando estava entre vocês. Eu poderia esperar que vocês me alimentassem, mas eu paguei pelas suas refeições. Eu trabalhei duro com minhas próprias mãos para que pudesse prover as minhas próprias necessidades e as de outros.”

Se aquilo era verdade para um grande dom como Paulo, por que todos os pequenos dons pensam que são tão importantes a ponto de não deverem trabalhar duro com as próprias mãos? Se Deus provê nossas necessidades de outras maneiras, tudo bem. Mas nós não esperamos isso nem o exigimos. Se o povo de Deus tem no coração de nos liberar para que não precisemos fazer tendas, isso é maravilhoso e tudo bem. Se o povo de Deus não julga que no momento podemos estar livres para servir de um jeito tal que fazer tendas não atrapalhe, então nós faremos tendas e tentaremos suprir as necessidades de outras pessoas.

Então, estas coisas são bem práticas, que já nos têm beneficiado por quinze anos, sendo que muitos irmãos em nossas fileiras no passado eram pastores ou líderes. Eles dispensaram seus salários, posições e seus títulos, e Deus tem sido muito fiel. Nenhum deles passa fome, e todos estão servindo a Deus em tempo integral. Todos os santos, até as crianças, servem a Deus em tempo integral. Eles não servem a Deus em troca de pagamento; eles servem a Deus por amor, e Deus provê suas necessidades de muitas maneiras. É uma verdade muito preciosa, mas algumas vezes é um tanto assustador abandonar as tradições dos homens, especialmente quando nos custa o dinheiro que está no bolso. Ninguém jamais confiou em Deus assim e Deus o deixou na mão. Deus é fiel. Ele cuida dos lírios. Ele cuida das aves do céu. Ele cuida de qualquer um que O ama. Não existem categorias especiais de Cristãos.

Não existe um sistema de castas no Cristianismo onde algumas pessoas vendem seus dons enquanto outras pessoas têm apenas dons de “pessoas normais”. Ninguém vende seu dom na igreja verdadeira. Deus atende as necessidades de todos como Ele julga conveniente. Deus decide como nossas necessidades são atendidas. Somos servos de Deus em tempo integral, quer seja no mercado, nas cadeias, ou em nossos lares. Essas são verdades muito importantes. Temos que balançar a árvore das tradições dos homens e derrubá-la. Deus é fiel; Ele nos protegerá se fizermos isso.

Um exemplo prático: Os irmãos e irmãs em Indiana e Ohio; foram eles quem decidiram que nós três deveríamos vir para cá. Nós não decidimos que “somos super-heróis, portanto vamos viajar para algum lugar”. Os santos nos Estados Unidos decidiram que estes irmãos deveriam ser enviados. Foi decisão deles, não nossa. Eles decidiram que pagariam nossas contas enquanto estivéssemos fora. Não decidimos isso. O Povo de Deus, ouvindo a Deus, decidiu em união que nós devíamos ir, e que eles deviam pagar nossas contas enquanto estivéssemos distantes. É uma questão bem simples.

As tentações que Jesus passou no pináculo do templo, elas são bem parecidas com as tentações que passamos algumas vezes, não são?

Nós realmente cremos?

Pergunta: Quando escolhemos dividir a mensagem do Rei e do Reino com nossos amigos que estão nas denominações, o que devemos dizer a eles sobre a ajuda financeira que eles e outros recebem dentro daquela denominação? Algumas pessoas no momento estão dependentes da denominação para seu sustento.

Se uma pessoa decide permanecer parte de uma denominação por causa de dinheiro, Deus a julgará severamente. Se uma pessoa rejeitar as Verdades de Deus por causa de dinheiro, é porque essa pessoa adora a satanás. Isso não tem nada a ver com dinheiro! Isso tem a ver com DEUS, que é muito maior que dinheiro! Nós devemos confiar em Deus e obedecê-Lo qualquer que seja o custo. Se vai nos custar a família, ou nossa casa, ou se vai custar nosso trabalho, se vai custar todo nosso dinheiro—essas coisas são para Jesus e isso vale a pena, qualquer que seja o custo.

Pedro e João disseram: “Prata e ouro EU NÃO TENHO. Mas eu tenho Jesus e o que tenho, eu te dou.” Se uma denominação está jogando dinheiro na vida de pessoas e isso é o sustento delas, e tais pessoas ali dentro começam a obedecer a Jesus sem se importarem com as conseqüências, então de duas coisas uma vai acontecer. Uma coisa que pode ocorrer é que as verdades de Deus fluirão pela denominação e a transformarão por completo. Pessoas vão até dar mais dinheiro porque suas vidas são mudadas. A outra coisa que pode acontecer é a denominação vai cortar a ajuda financeira. E se eles cortarem o dinheiro… Eu digo: “E DAÍ!” Deus vai prover para todos que são obedientes e fiéis.

Nós realmente cremos que Deus é dono do gado sobre os milhares de montes? Nós realmente cremos que qualquer coisa que pedirmos Dele em Seu Nome, Ele proverá? Nós realmente cremos que Ele nos ama mais do que Ele ama os pardais e as flores dos campos? Ou isso é só uma brincadeira religiosa que estamos envolvidos para obter coisas para nós mesmos? Se você segue os caminhos de Deus por dinheiro, ou se você está disposto a deixar por menos e abandonar as Verdades de Deus por dinheiro, então eu te digo o mesmo que Pedro disse a Simão Mago: “Pereçam tu e o teu dinheiro no inferno!” Nós não devemos ser afetados por dinheiro. Devemos acreditar em Deus e obedecê-Lo não importa qual seja o custo disso. Ele é um Pai maravilhoso que ama dar bons presentes a Seus filhos.

Pense nisso…

Quando a Etiópia era uma nação Cristã e muitas pessoas obedeciam a Deus, a Etiópia era chamada de o celeiro da África. Bem, é Deus quem manda que as chuvas caiam, que os grãos cresçam, que os rebanhos floresçam e que uma nação prospere. Quando a Etiópia tornou-se uma nação Islâmica e o Cristianismo foi misturado, Deus julgou a terra e a chuva parou de cair. A Etiópia é agora um deserto, não um celeiro.

Pare e pense sobre isso porque o que eu quero dizer a vocês é que o inverso também é verdade. Se nós construirmos a Casa de Deus e não nossas próprias casas, e se nós gastarmos a nós mesmos para Deus ao invés de tentar proteger nossas próprias riquezas, então Deus fará com que nossas colheitas cresçam. Ele fará com que as chuvas caiam, que nossos negócios prosperem, e Ele encontrará meios de prover para nossas necessidades.

Se por outro lado nós tentamos nos proteger, e transigimos e desobedecemos às verdades porque temos medo do que pode acontecer, então Deus nos julgará severamente. Nossos bolsos terão buracos. O dinheiro que pensávamos ter não será tanto quanto achamos que seria. A semente que lançamos no campo não dará tanto quanto deveria. Mas, se confiarmos em Deus, Ele cuidará de nós. E do mesmo modo, se desobedecemos e transigimos, Ele nos julgará (Ageu, capítulo 1).

Quando é que Deus terá um povo que finalmente confiará Nele e O obedecerá não importa quais sejam as conseqüências? Vocês serão esse povo? Se não, vocês APODRECERÃO. Se forem, vocês prosperarão para a GLÓRIA DE DEUS!

Senhor Deus Todo-Poderoso, por favor, atente para nossa oração agora mesmo. Nós pedimos a Você para abrir os céus. Por favor, continue a derramar revelação a irmãos e irmãs sinceros. Continue a derramar o óleo de alegria naqueles que são obedientes. Continue a construir Sua Igreja com grande sabedoria, amor e auto-sacrifício para aqueles que obedecerão a Você a qualquer preço. Nós também Te pedimos, Deus, como Você prometeu no Livro de Deuteronômio, que Você traga maldições e julgamento sobre os que não obedecem a Você. Nós Te convidamos a ser nosso Pai se amarmos e obedecermos a Você. Nós Te convidamos a ser nosso Juiz se desobedecermos a Você. Sabemos que Você não tem prazer em trazer calamidades, mas algumas vezes nós precisamos de palmadas para quebrar nossos espíritos. Nós Te convidamos a nos dar palmadas espirituais se formos achados teimosos. Pedimos que Você nos abrace e nos ajude em nossas fraquezas. Por favor, quebre nossa rebelião, e acuda nossas fraquezas. Nós convidamos Você a estender Tuas mãos e fazer coisas sobrenaturais dessas maneiras. Nós sabemos que Você é Real, Vivo e Glorioso. Isto não é um jogo e nós não estamos tentando escolher Você para ser Deus. VOCÊ É DEUS, e nós devemos dobrar nossos joelhos a Você. Somos tolos e fracos algumas vezes, mas convidamos Você a nos fazer homens e mulheres de Deus, esmagando nossa rebelião. Damos Glória a VOCÊ como nosso Autor e Criador, o Amado das nossas almas, e o Construtor da Tua Igreja. Grande é Seu nome. AMEM!

AosSeusPes.com
Portugues Languages icon
 Share icon